Inquietação


Como isto tem dias, existem dias em que a raiva, a tristeza, a alegria, a desilusão, a amizade, se misturam de uma forma que me provoca uma grande inquietação.
Para ilustrar este estado de alma nada como o belo poema de José Mário Branco que m e espelha hoje perfeitamente a alma, mas sempre com a esperança ao fundo.

A contas com o bem que tu me fazes
A contas com o mal porque passei
Com tantas guerras que travei
Já não sei fazer as pazes

São flores aos milhões entre ruínas
Meu peito feito campo de batalha
Cada alvorada que me ensinas
Oiro em pó que o vento espalha

Cá dentro inquietação, inquietação

É só inquietação, inquietação

Porquê, não sei

Porquê, não sei

Porquê, não sei - ainda
Há sempre qualquer coisa que está p'ra acontecer

Qualquer coisa que eu devia perceber

Porquê, não sei

Porquê, não sei

porquê, não sei - ainda

Ensinas-me a fazer tantas perguntas
Na volta das respostas que eu trazia
Quantas promessas eu faria
Se as cumprisse todas juntas

Não largues esta mão no torvelinho
Pois falta sempre pouco p'ra chegar
Eu não meti o barco ao mar
P'ra ficar pelo caminho


Cá dentro inquietação, inquietação

É só inquietação, inquietação

Porquê, não sei

Mas sei

É que não sei - ainda

Há sempre qualquer coisa que está p'ra acontecer

Qualquer coisa que eu devia perceber

Porquê, não sei

Porquê, não sei

Porquê não sei - ainda

Cá dentro inquietação, inquietação

É só inquietação, inquietação

Porquê não sei
Mas sei

É que não sei ainda

Há sempre qualquer coisa que está p'ra acontecer

Qualquer coisa que eu devia perceber

Porquê, não sei

Mas sei

É que não sei ainda

Há sempre qualquer coisa que eu tenho que fazer

Qualquer coisa que eu devia resolver

Porquê, não sei

Mas sei

Que essa coisa é que é linda

Comentários

Anónimo disse…
Anita

Bom dia, parece que não está muito bem hoje.

Mas essa letra é de facto fantástica.

Anime-se

beijo

Augusto
SENSEI disse…
O Sol hoje por cá, escondeu-se por detrás das nuvens, se calhar com vergonha pela forma de agir de alguns, mas temos de ser fortes e compreender que, quase sempre nunca nos reconhecem os esforço, a dedicação e o trabalho com que nos empenhamos num projecto, acreditando que aquilo que defendemos e fazemos é para melhorar a vida de todos.
Assim regozijamo-nos com pequenas palavras de agrado dos poucos que entendem, mas fragilizamos no silêncio de uma maioria e na demagogia falada e escrita com profunda malícia pelos outros.
Os outros, são aqueles que em consciência, quando detectam um bom trabalho por parte dos seus opositores, o destroem apenas pelo perigo que este representa para eles, não se preocupam com o impacto negativo sobre os demais. Esses, nunca construíram nem construirão nada, pois a sua especialidade é mesmo a destruição e a reposição do "status quo" da inércia típica do parasitismo oportunista.
José Mário Branco foi e é um homem extremamente inteligente, claro e conciso, o seu espectacular trabalho "FMI" é, embora gravado em 01 de Maio de 1981 no teatro Aberto, uma arrepiante mas muito actual realidade dos dias de hoje.
Sou um dos poucos felizardos a tê-lo, quase que como um pequeno tesouro, arrepiando-me sempre que o ouço de tão real que é passados que são 21 anos sobre a sua gravação.

Desculpa a extensão, mas foste tu que a provocaste e muito bem.
Anónimo disse…
Minha Linda

Então á sexta feira acordamos neste estado

Vamos lá arrebitar!

Se não ficas intratavél que eu bem te conheço

Beijo Grande na testa

Paulo el niño
Anónimo disse…
Então fofinha?

Não estejas assim, então tu que és sempre o rochedo.

Tens a certeza que não fostes tu a escrever esta letra/poema.

Mil beijos

Lena G.
José Gil disse…
Ry cooder? Muito bem... Começo a achar que a minha amiga tem um excelente gosto/conhecimento musical.

O homem fez a banda sonora do fabuloso filme Paris Texas e de outro menos conhecido chamado Southern Confront.

Um bom fim-de-semana e anime-se que a vida são só dois dias.

Um beijo
eduardo disse…
Ana

Também gosto muito de José Mário Branco, devem de estar á espera que morra para lhe reconhecerem o valor.

Mas parece estar triste, não fique assim.

Um grande fim de semana


beijoca
Anónimo disse…
E por acaso não podias responder, não?

E que trazes vestido Hoje?

Vê lá Riquesas da sua avó!

è só desprezo e mau feitio, hoje?

Dassss

Paulo El niño
Ana Camarra disse…
Não tenho muito tempo mas obrigado a todos

beijocas
CRN disse…
Ao pé de ti ninguém necessita prozac!
Anónimo disse…
Cara Ana

Este blogue é um espaço de criatividade, bom senso, calma, bom gosto e razão.

grandes cumprimentos

X
Capitão Merda disse…
O grande Zé Mário!

Tal como o Sensei, também tenho o FMI lá em casa...


Bom fim de semana!
Odysseus disse…
Inspiração poética desse senhor, belos cozinhados de palavras, que a autora do Blog leva também muito jeito.

Jitos
poesianopopular disse…
Muita gente nesta terra e nesta momento,está no mesmo estado de espirito, do JMB, mas não iremos desistir.
Sobre o que falas dos meus comentários aos quadradinhos, nem sempre consigo abrir a tua janela dos comentários, acabando por me socorrer, em baixo á esquerda do monitorna janela https://www.blogger... Só que isso nem sempre acontece,hoje foi tudo normal.
Será que hoje vai saír sem quadradinhos?
Diz qualquer coisa
Abraço OK
Anónimo disse…
Miuda

Então já passa da hora do lanche e isto está na mesma?!

Francamente!

Pelo menos espero qyue estejas mais bem disposta...

beijões

Paulo El niño
bivolta disse…
Bem expresso esse estado de alma.
Tem dias. Camarrada.
salvoconduto disse…
Inquieta?são.

Gostei de conhecer este blogue.
águia_livre disse…
Se tu soubesses ler no vento
As palavras que te escrevo
Talvez o teu pensamento
Fosse por vontade tão lento
Como as três folhas de um trevo

Se o vento fosse companhia
E te levasse o meu segredo
Decerto que ao ouvido te diria
Que és o meu sonho, a fantasia
O fantasma do meu medo

Se o vento pudesse dizer
As palavras que eu queria
Talvez pudesse acontecer
Frases que não sei merecer
Mas que te as direi um dia

E tudo isto se o vento
Fosse como fogo posto
Deixaria que um beijo suculento
Dado com um carinho ternurento
Fosse arder em teu rosto

Mas a verdade que te digo
Não passa de um pensamento
Mas te diriam deste teu amigo
Palavras sem sentido
Se tu soubesses ler no vento.
.............

Isto tem dias, lol.
águia_livre disse…
Cantam as aves no seu silêncio
Falam de coisas se olhando
Encostam os bicos
Se amando
De poucos nadas
Cantando
Melodias em poesia
São bandos cortando os ares
Entre todos
Muitos pares
Se encontrando
Em pura fantasia
Sobem aos céus em círculos doirados
Poisam em árvores de papel
Olham-se com olhares apaixonados
Ternurentos de amor calados
Fazendo em voo a sua lua de mel
E na solidão das noites
Nos seus ninhos e beirais
São de amor sonhos afoites
São aves e nada mais
.......................

Isto tem dias, eheheeheh
Ana Camarra disse…
Obrigado a todos

Aguia és passaro de arribação não, vá lá a gente advinhar que os adeptos da bola são poetas

beijos