As coisas que me irritam mesmo quando o sol brilha





A Estupidez – Faz-me impressão as pessoas as pessoas não usarem a cabeça para aquilo que milhares de anos de evolução produziu, o único animal com raciocínio.
Ninguém nasce ensinado, mas deve ser obrigação de cada um aprender sempre mais qualquer coisa.
Manter uma mente aberta, estar permeável a novas coisas.
O maior bronco é que não quer os jornais, mais um livro, ver um filme, falar com alguém diferente.
A pior estupidez é a estupidez de quem se convence que sabe tudo.
É uma estupidez arrogante, alarve.
De vez em quando cruzo-me com esses detentores de verdades absolutas e universais.
Ficam marcados na parte debaixo da minha escala de classificação

Atravessarem de costas a rua para os carros – É típico um grupo de pessoas atravessar a rua na diagonal de costas para a rua. Esperar no passeio que o semáforo fique verde para os carros e vermelho para peões, para atravessar a estrada. Empurrar o carro do bebé primeiro para a estrada, sair por detrás de um autocarro estacionado, ir de bicicleta no meio da estrada…

Cuspir para o chão – Cuspir no chão a par de fazer mijas na rua é das coisas mais badalhocas que se verificam nos portugueses. Há uns anos atrás um francês disse-me que eu não parecia portuguesa, porque conheciam os portugueses de costas na rua, porque eram as únicas pessoas que cospem no chão…
Quando ouço aquele ronco de puxar “a coisa” arrepia-se a alma.
È nojento, é javardo, é abjecto.

A unhaca – A unhaca é uma instituição para certos homens, não sei donde tiram a ideia que é um atributo. Para mim é uma desclassificação. As unhacas são ordinárias e geralmente lembram cornos. Já vi fazerem muito uso delas, desde tirar o burrié do nariz, coçar os genitais, tirar cera da orelha e o melhor no fim palitar os dentes.
Entra no mesmo grau de cuspir para o chão.

Estas são apenas algumas coisas que me irritam.

Comentários

Anónimo disse…
Então estava tão bem disposta!
O que aconteceu?
Eduardo disse…
Aninhas

Então?!
Tem razão em tudo.
Mas porquê esse volte face de humor?

Alegre-se

beijoca outra vez
Fatima disse…
Ana

A unhaca é simplesmente nojenta.
E toque na "fruta" no meio da rua também.
Concordo contudo.
E quem anda a passear o cão e deixa o cagalhoto no passeio ou no jardims?
E a pastilha elástica no chão?
Escarrar então é do pior.

beijinho
Capitão Merda disse…
E se o primeiro-ministro for a passar na rua, podemos cuspir-lhe?
;)
Anónimo disse…
Ana

Estive para comentar na melancia, fartei-me de rir, mas agora atendendo á desocupação amorosa também não vale a pena comer muita melancia.
A partir de 16 de Agosto, estou aí, será que o caracol no Joaquim C ainda é bom?
Dá para combinar uma patuscada com o teu pessoal (homem e filhos, gostava de os conhecer).
Continuas a ser sempre uma miuda esperta e bonita por dentro e por fora.

Diz qualquer coisa, ainda não mandei o mail porque é do trabalho e é chato estar a aparecer no teu blogue.

beijos e abraços

Zé Manuel
Ana Camarra disse…
Ó Zé Manuel

Então um moço tão esperto ainda não percebeu que eu só publico o quero, manda o email que eu não publico.
Francamente!
Tens um grande azar que vou de férias na 2ª quinzena de Agosto, Alentejo cá vou eu!
O caracois estão bons sim e outros sitios mesmo que não seja no Barreiro velho, pode ser que a gente se cruze.

beijinho
Ana Camarra disse…
Anónimo e Eduardo

è assim há coisas com o condão de me irritar.
Ana Camarra disse…
Fátima - Tem muita razão.

Capitão -Hahaha sou tu para me fazeres rir agora.

beijitos
Anónimo disse…
Então miuda?
Acordas toda amorosa a cantares loas ao teu homem e depois pimba a escarradela no chão, a mijoca e a unhaca?!
Não esquecer a estupidez mas tens de ver que há por aí muito cabrão quer faz disso uma cultura e os exemplos vem de cima.

Ri, moça, quando tu ris fica tudo melhor.

Paulo

NOTA-Era eu que andava no Parque da cidade no sábado á noite a tirar fotos, vi-te pelo rabinho do olho e o vermelho fica-te mesmo bem, devias usar mais.
Eu sei que tens sempre espaço para os amigos, ainda bem!
Só um cromo esqueci-me de assinar.

Beijos muitos
Anónimo disse…
Miuda

A unhaca é um nojo

Cuspir no chão é um nojo no primeiro ministro não faz mal

A estupidez tu já sabes que é assim há muito tempo.

Não sei quem é o Paulo mas o vermelho fica-te muito bem e tu sabes que já te tinha dito.
beijos doida

Lena G.
Rei da Lã disse…
Toda a gente lhe gaba a roupa, Sr.ª Ana...
Ana Camarra disse…
Paulo - Estás pior.Eu até estava bem acompanhada.

Lena - Nem se diz, muito pior, mesmo.

Rei da lã - è assim sua alteza, hoje deu-lhes para aí amanhã logo se vê.

Beijos
CRN disse…
Olá Ana,

Como membro do colectivo em análise, devo tentar defender-me, porém, tão pouco me perdem as causas indefensáveis. Assim, exceptuando a tal "mija", estou de acordo com a quase totalidade do texto.

Cumprimentos.

CRN
SENSEI disse…
Cuspir para o chão.
O arremesso de fluidos corporais para a via pública, é um passatempo para alguns Tugas, os mesmos que seguramente acham que as mulheres gostam dos homens rudes e a cheirar a cavalo, os mesmos que se não arrearem na companheira 1 ou 2 vezes por semana, ela fica a julgar que não gostam dela, pensam eles!
Ainda temos de facto um longo caminho a percorrer, para que muitas das mentalidades em vigor neste povo, se percam e se transformem em verdadeira civilização, civismo e acima de tudo elevada moral. Até à data, poucas são as referências a seguir, em especial as correspondentes ao topo político da nossa governação, aqueles que deveriam dar o exemplo são os primeiros a o não fazer.

A unhaca.
É de facto uma instituição, infelizmente para muitos homens.
Quantas vezes aguardando eu nos semáforos a luz verde para prosseguir, olho no espelho retrovisor e até me assusto, o condutor do veículo por trás de mim, "vasculha" freneticamente as fossas nasais, e orgulhosamente ostenta diante de si a unhaca com a "presa" do momento, que segue para o aperto entre o indicador e o polegar, seguido de uma frenética fricção destes 2 dedinhos e de um arremesso, ao estilo de um jogo de berlindes, pela janela fora.
Coçar os ditos, é mato.
Tirar a cera, é comum.
Palitar os dentes após tudo isto, só prova que somos um povo que gosta de sabores fortes.

Aaaarrrrgggghhhhh!
Ana Camarra disse…
crn

Não digas a ninguém mas a da mija é inveja de gaja.

Sensei-Não sejas t~«ao descritivo, credo!

beijos
Ana Camarra disse…
Paulinho

Deves ter bebido uns copos, eu fui ao Parque para ver a Kumpanhia Algazarra na sexta feira, no sábado fiquei no ripanço do lar.

jocas
Atever disse…
É por isso, por passar a vida a reclamar dessas coisas, que eu passo por ter um mau feitio do caraças.
Os portugueses chegaram aos quatro cantos do mundo (mas a terra não era redonda? eheheh) mas sempre demasiado ocupados com trabalho. Nunca tiveram tempo nem vontade de absorver outras culturas.
Diz-se que a diferença entre uma virgem e um português emigrado, é que o português nunca deixará de o ser.
Entramos no Metro de Paris e no meio da multidão há um fulano a olhar para nós fixamente: É um português igualzinho aos que viajam todos os dias no Metro de Lisboa. Apesar dos vinte anos em França, não evoluiu, porque, ou esteve ocupado a trabalhar, ou a coçar os tomates eheheh.
Acho até que o trabalho foi inventado por um português que, farto de se coçar, de cuspir no chão (ainda tentou cuspir para o ar mas levou com a “ostra” no nas trombas eheheh) e de tirar macacos das ventas, resolveu inventar o trabalho, para passar tempo.
A ideia da dignificação pelo trabalho, tão propagandeada pelo regime salazarista, até a cultura da preguiça nos roubou, por entre conotações pejorativas.
Até a Amália cantava a dignificação pelo trabalho. Depois ficava ofendida por lhe chamarem “a fadista do regime”.
Foi com esta cultura pacóvia que evoluímos, é com ela que temos de viver.
Beijinho.
CRN disse…
Ana, era essa a intenção!!!
Ana Camarra disse…
Prof Atever - Estás carregado de razão, carregadinho a ajoujar....

Crn - Pois, eu ás vezes sou assim...
Anónimo disse…
Estive a pensar (ás vezes eu penso):
Quando quiseres fotos tuas a faze birras tenho ás carradas, dos dois meses até aos 19/20 anos.
Tenho uma tua espectacula, em topless, no Meco, quando eramos 20 ou 30 na praia e naquele momento resolveste deita-me a lingua de fora.
Não percebo como é que uma gaja que namorou com fotografos e que era tão fotogenica fazia fitas daquelas.
O meu pai engatou-me e está tudo digitalizado, tenho uma muito giras das nossas festas de anivesário, um espectaculo. De férias de piqueniques, uma de nós os dois no Jardim Zoológico, tinhamos no máximo 5 anos.
Tenho que te gravar em cd.
Agora venho cá todos os dias hehehe

Paulo (El niño)
Ana Camarra disse…
Paulinho meu menino

Agora em vez de pasteis de nata e bolas de manteiga comes letras.
A tua sorte é que eu percebo-te á légua.
Maluco

Beijinho na testa
Anónimo disse…
Pronto já sei quem é o Paulinho, meu rico menino.

Como é que me passou ao lado, mas com as dicas do maltrapilho e das fotos de infância é mais um dos teus orfãos de infância.

Grande moinante, nunca mais te vi.

Olha quanto mais não seja festa do Barreiro, IIª Edição do Grande Derby do Carrinho de choque PauloversusLena.
Quem perder paga farturas a todos.

hehege

(tás a ver os nossos putos a assistirem a tal coisa, chamavam a carrinha do manicómio)

Lena G.
Ana Camarra disse…
Paulo e Lena

Amanhã dou o nº de telemovel de um ao outro para se entenderem que eu não alinho nessa IIª Edição de maluqueiras.
Falem um com o outro.

beijitos aos dois
Miss K disse…
Ainda hoje de manhã ia eu no carro atrás de outros carros e o gajo da frente abre o vidro, espeta a boquinha de fora e "aaarrrrrrrrr" escarro pela janela fora! Badalhoco de merda, levou logo uma apitadela e uns gestos menos simpáticos pelo retrovisor, mas acho que simplesmente me ignorou e continuou na vidinha dele...
poesianopopular disse…
S� h� uma unhaca que � boa ;� a do porco/a, ou a do leit�o!
Agora �a, ou talvez n�o!
abra�o
Ana Camarra disse…
Miss K
è daquelas coisas que me deixa possessa.
o melhor ainda é quando vão vestidos com roupita de marca, finérrimo....
Ana Camarra disse…
Poesia no Popular

Nem essas.

Cumpts
Eric Blair disse…
e escarafunchar a bicanca, e de seguida deglutir a catota, ãh? Esqueceste-te, rapariga.
mjf disse…
Olá!
Cheguei e fui entrando...
Gostei do que li e voltarei ;=)
Também não acho muita graça á libertação de " ventosidades intestinais" dentro do elevador....;=(((
rhrhrhrhrh


Beijocas
Ana Camarra disse…
Eric - falhou-me essa!

mjf - outra bonita por acaso, também me esqueci do pessoal que não usa desodorizantre e encosta o sovaco ao nariz do próximo em hora de ponta nos transportes publicos. Benvinda a este sitio.

beijocas
Odysseus disse…
A unha é muito má, não entendo isso.
Uma coisa que não gosto é o regresso da moda da unha pintada de vermelho, não me perguntes porquê. Outra coisa é homens com malas a tiracol, acho muito gay!

Abraço.
Ana Camarra disse…
odysseus - Como é uma unha pintada de vermelha. Credo. A mala a tiracola também tem o nome de mariconera, não me incomodam os homosexuais mas as bichas....

Abraço para ti ambém