quarta-feira, 21 de maio de 2008

Não sei o que escrever











Hesitei muito sobre o tema deste post:
Pensei em escrever sobre o assassínio lento dos serviços de saúde, como utente, infelizmente assídua de um Hospital, verifico que tudo está mal, os médicos andam em stress e atendem doentes a mais, os enfermeiros ganham pouco, trabalham muito e não são valorizados, os auxiliares ganham ainda menos. Há doentes a mais, equipamentos a menos, falta de material, etc. No entanto neste momento o “negócio da saúde” é cobiçado pela maioria dos grandes grupos económicos, enfim parece que alguém lhes anda a fazer o favor de acabar com o Serviço Nacional de Saúde. Não?
Depois achei que não que iria debruçar-me sobre o facto do nosso Presidente da República ter dito ontem, a respeito de uma visita a firma de sucesso na área das novas tecnologias em Braga, que o seu papel é mostrar e chamar a atenção para o que de bom existe no país. Ahn?
Então, mas é para isso que serve? Para isso existe a Secretaria de Estado do Turismo, contrata-se um Relações Publicas de gabarito internacional, sei lá, uma coisa mais em conta que afinal a crise não pode ser só para nós.



Tenho vindo a pensar escrever sobre a população crescente de "colunaveis" por metro quadrado em portugal, parece que nunca fizeram nada de jeito, não sabem cantar, dançar, pintar, escrever, nalguns casos nem falar, mas enchem várias revistas cor de rosa (que leio com dois anos de atrazo na sala de espera do consultório). Nunca percebi muito bem o fenomeno.



Pensei também no infindavél mistério que constituem para mim as eleições presidencias dos EUA, parecem-me complicadas, pouco claras e muito pouco democratas, mas também confesso que nunca as percebi.
Mas ainda assim achei que não.
Lembrei-me ainda de outros temas: do anuncio da Coca Cola Zero que é de uma estupidez atroz, basicamente são duas línguas (com uma aparência obscena) e patas de elefante, a discutir com um olho com pés de galinha; ainda outro anuncio que me irrita é o do Jumbo com aquele slogan irritante “Como encontrar um trevo na tromba de um elefante”, que é uma coisa que não é de todo fácil, o que faz com que o anuncio leve a pensar que não se encontram preços baixos no Jumbo, eu quando vi elefantes nunca vi trevos nas trombas; ou sobre o facto de o Procurador Geral da Republica ter admitido que existe um vazio legal que permite a um pedófilo adoptar uma criança (é isso mesmo); ainda me lembrei de outras coisas, como o facto de Vale e Azevedo ser oficialmente um fugitivo da Justiça (um espanto); como as propostas e contra propostas para a Educação, que servem basicamente para baralhar pais, alunos e professores, ou sobre mais um aumento dos combustíveis…



Mais ainda lembrei-me de um comentário atroz que ouvi a propósito do o sismo que se abateu na China: "Bem feita para não andarem a bater nos outros...". Gelei, não é possivél tanta estupidez

Enfim estou cansada, não me consigo decidir.

4 comentários:

PDuarte disse...

Ás vezes o silêncio faz barulho.

SENSEI disse...

A REVOLTA DEIXOU DE SER UM ESTADO DE ESPÍRITO PARA SE ASSUMIR COMO UMA REAL NECESSIDADE.

É URGENTE REVOLTAR-MO-NOS, É URGENTE DEPOR ESTES GOVERNANTES, É URGENTE QUE O POVO PORTUGUÊS CIVIL E MILITAR RETOME O CONTROLO E A JUSTIÇA VOLTE A IMPERAR DE NOVO EM PORTUGAL.

Mac Adame disse...

É normal que o cansaço te vença. A estupidez humana não tem limites e tu andas sempre muito atenta. E isso cansa.

Capitão Merda disse...

O comentário que citas no parágrafo final é típico de um organismo vivo acéfalo!
No mínimo...